Brisingamen
Mitologia

Brisingamen


۞ ADM Dama Gótica


Brisingamen (sig. "flamejante" ou "brilhante") é um colar pertencente à deusa nórdica da beleza e do amor, Freya. Ele foi criado por quatro anões mestres-ferreiros, com tal arte que ele brilhava como uma constelação no céu noturno. Quando está em torno do belo pescoço de Freya, torna-se o símbolo do céu e frutos.  Esse colar podia ser usado tanto no pescoço como também na cintura. Os poucos que o viram juraram que o artefato é o mais bonito sobre o qual já colocaram os olhos. 

Lenda

Um dia, enquanto vagava por uma caverna habitada por anões, Freya viu o mais belo colar que ela já tinha visto. Quatro anões, chamados  Alfrigg, Berling, Dvalin e Grerr viviam dentro desta caverna e estavam dando os últimos retoques no belo colar. Freya implorou que eles lhe dessem o colar, dizendo que ela pagaria qualquer quantidade de ouro por ele. Os anões se recusaram a vendê-lo, porém eles fizeram uma proposta a Freya. Se ela passasse uma noite com cada um dos quatro anões e transasse com eles, ela poderia ter o colar. Freya concordou e passou as próximas quatro noites com os feiosos anões.


O trapaceiro Loki tinha seguido Freya até Svaralfheim, a casa dos anões, e viu tudo o que tinha acontecido. Loki voltou correndo para Asgard e contou à Odin tudo o que tinha visto. Quando Odin soube da notícia, ele ficou furioso. Ele ordenou que Loki para tirar o colar de Freya e trazê-lo para ele. Loki foi até o palácio de Freya, Sessrumnir, mas ele teve dificuldade para entrar, pois todas as portas e janelas estavam bem fechadas. Mas Loki se transformou em uma pequena mosca e entrou no quarto através de um buraco tão pequeno como o de uma agulha. Loki viu que Freya estava usando o colar em volta do pescoço, com o fecho por baixo dela, e que ele não podia alcançá-lo. Loki então se transformou em uma pulga e mordeu a deusa em sua bochecha. 

Ela virou-se inquieta em seu sono e expôs o fecho. Loki rapidamente transformou-se de volta para a sua própria forma, pegou o colar, destrancou a porta, e se arrastou para fora. Quando Freya descobriu que a perda de seu colar, ela correu para Odin e contou sua história, chorando amargamente. Frio e com raiva da história de Freya, cheia de cobiça e luxúria, Odin disse que ele só poderia recuperar o colar se ela concordasse em provocar uma guerra entre dois poderosos chefes em Midgard, a terra. Ele exigiu que deveria haver morte e derramamento de sangue. Depois Freya deveria trazer os heróis mortos de volta à vida.

Freya voluntariamente concordou com os termos, pois, como Odin, ela tinha um desejo de batalhas e heróis. Em seguida, Odin ordenou a Heimdall, o vigia da ponte Bifrost, para ir atrás de Loki e trazer de volta o colar de Freya. Loki se transformou em uma foca e nadou até uma rocha perto de Singastein, mas logo em seguida Heimdall também tornou-se uma foca. Os dois travaram uma batalha feroz. No final, Heimdall prevaleceu, e com o colar em mãos, conduziu Loki  para fora da água e retornou para a presença de Odin.

Outra versão

Freya teve o seu colar roubado por Loki. Ele se escondeu em Dreun, lugar onde os mortos ficam e somente os deuses podem ir e depois retornar. Lá escondeu a jóia para que Freya nunca a encontrasse. Hearhden, o poderoso ferreiro dos deuses, ficou muito abalado com toda a história, já que todas as almas partilhavam da tristeza de Freya e a escuridão estava em torno dela. Ele decide ajudá-la. Recuperou a jóia e devolveu a ela. Quando ela foi sair de Dreun, Hulda não deixou. Para que ela pudesse partir, ela teria que dar algo dela para Hulda. Por não querer se livrar da sua tão preciosa jóia, Freyja fez um trato com Loki.

O contrato dizia que o Brisingamen ficaria durante seis meses com Freya e Loki ficaria com ele durante os outros seis meses do ano. Enquanto Loki fica com Brisingamen, Freya fica angustiada e cai novamente em desespero, trazendo mais uma vez a escuridão a sua volta. Para esconder suas lágrimas, toda luz, toda vida e todas as criaturas se juntam a ela em seu terrível destino. Por isso que, na metade da roda do ano, quando Loki está com o Brisingamen, Freyja fica desesperada, a escuridão desce e o mundo torna-se frio e gélido (inverno). Na outra metade do ano, quando Freya recebe novamente sua jóia, não há limites para sua felicidade, então a escuridão é substituída pela Luz e o mundo torna-se quente mais uma vez (verão).






loading...

- Gullinbursti
۞ ADM Sleipnir Gullinbursti (também conhecido como Slíðrugtanni) é na mitologia nórdica um javali gigante de ouro pertencente ao deus Frey. Seu nome significa "Cerdas Douradas", relacionado com os seus pelos feitos de fios de ouro, que brilhavam...

- Anões
۞ ADM Sleipnir Os Anões (Dwarf, Dvergr, Dweorg, Twerg, Dwergaz) são uma raça de seres que de acordo com a mitologia nórdica, foram criados a partir dos vermes que roíam o cadáver do gigante Ymir. Eles receberam como morada Svartalfheim,...

- Andvarinaut
۞ ADM Dama Gótica Na mitologia nórdica, Andvarinaut (nórdico antigo: a oferta de Andvari), era um anel mágico forjado pelo anão Andvari que tinha a faculdade de atrair outros metais preciosos e ajudava seu dono a encontrar mais ouro. ...

- Gungnir
۞ ADM Dama Gótica Na mitologia nórdica, Gungnir é a lança de Odin, a mais poderosa arma dentre os deuses de Asgard. A lança Gungnir, quando lançada, nunca erra o alvo  e sempre volta à mão de Odin. Foi também com ela que...

- Sleipnir
۞ ADM Sleipnir Na mitologia nórdica, Sleipnir é a montaria mágica de Odin. O lendário corcel de oito patas é o ser mais rápido entre os planos. O seu nome significa "suave" ou "aquele que plana no ar". Ele também é associado com as palavras...



Mitologia








.