Osíris
Mitologia

Osíris


۞ ADM Sleipnir



Osíris (Asar, Asari, Aser, Ausar, Ausir, Wesir, Usir, Usire ou Ausareera o deus egípcio da morte, fertilidade, renovação e ressurreição. Filho de Geb e Nut, ele era o consorte de Isis, que também era sua irmã. Seus filhos famosos foram Hórus (com Ísis) e Anúbis (com sua outra irmã, Néftis). Osíris   é um dos mais emblemáticos e facilmente reconhecido de todos os antigos deuses egípcios. Ele foi descrito como um deus "humano" sem a cabeça de um animal. Sua imagem também incluiu um "osird" ou "a barba divina", uma falsa barba trançada que era firmemente atada, entrançada e presa atrás das orelhas.

Osíris é frequentemente retratado segurando o cajado e o mangual. Ele é um dos mais antigos deuses do Egito e é conhecido por seu reinado sobre os mortos, ressurreição e fertilidade. Em muitas representações encontradas dentro de túmulos e monumentos, Osíris é quase sempre visto delineado em preto e pode ser identificado através de sua pele verde. Como muitos grandes reis, Osíris usa uma coroa branca, conhecida como uma coroa Atef, com duas penas de avestruz fixadas para os lados. Sua coroa se tornou o símbolo do Alto Egito.

A Morte de Osíris

Osíris e Seth eram irmãos, cada um casado com suas irmãs Ísis e Néftis respectivamente (Ísis e Néftis eram gêmeas). Certo dia por acidente Osíris dormiu com Néftis, e dessa noite nasceu Anúbis, que por ser filho dessa noite foi rejeitado por Néftis, que o lançou no rio Nilo, e posteriormente foi encontrado e adotado por Ísis, a esposa de Osíris. Algum tempo depois disso Seth com inveja de Osíris por ser mais sábio e e querido por todos e com raiva daquela noite, secretamente tirou as medidas de Osíris e construiu uma arca com as medidas, e ofereceu uma festa em homenagem a Osíris, dizendo que daria um prêmio a quem ocupasse toda a arca com o seu corpo, quando Osíris deitou e preencheu com exatidão a arca, Seth e seus cúmplices lacraram a barca e a lançaram no Nilo.

Desolada, Ísis procurou seu marido por todo o planeta e achou a arca onde Osíris estava. Quando chegou ao seu país, Ísis escondeu a arca nos pântanos. 
Certa noite Seth encontrou a arca, enquanto caçava a luz do luar , e furioso despedaçou o corpo do irmão em catorze pedaços e os espalhou pelo Egito. Anúbis então tomou a forma de um chacal negro para procurar os restos de seu pai, Ísis e Anúbis em cada local que achavam um pedaço, construíam uma capela. Recomposto todo o corpo de Osíris (exceto o falo, que foi substituído por um exemplar de ouro), Ísis e ele tiveram um Filho: Hórus o deus-falcão. Depois disso Osíris se integrou ao tribunal dos mortos e Hórus ficou na Terra para derrotar Seth, que havia tomado o trono de Osíris.



Como Deus da Fertilidade e Renovação

Osíris era o deus da fertilidade, mas também muitos egípcios olhavam para ele por questões agrícolas. Acredita-se que sua pele verde simbolizava o solo fértil cheio de nutrientes que eram necessários para o cultivo. Estes nutrientes eram trazidos pela inundação anual do Nilo, e era através de Osíris  que este evento anual ocorria. Para os antigos egípcios, o ciclo de inundações, plantio, colheita eram todos trazidos através da força vital de Osíris.

De acordo com o folclore egípcio, foi Osíris  que civilizou todos os egípcios e os ensinou a arte da agricultura. Embora não esteja provado, os mitos alegam que, antes de ensinamentos de Osíris, os egípcios praticavam o canibalismo. Foi através da bondade de Osíris e da sua sabedoria que as coisas mudaram, pois ele mostrou-lhes como serem civilizados. Diz-se que Osíris trouxe novos princípios para os egípcios, como o renascimento da cultura e da vida.

A força vital de Osíris era importante para os antigos egípcios, tanto assim, que o processo foi muitas vezes mostrado através de "milho-múmias" trazidos para os funerais. Estas múmias simuladas não eram múmias reais, mas tijolos de barro com a forma de Osíris embutido nelas. Estes tijolos furados agiam como potes e foram preenchidos com solo umedecido e sementes deixadas para germinar, assim, mostrando as forças de Osíris dando-lhes a vida. As múmias de milho mais avançadas foram envoltas em linho e muitas levavam figuras de cera realistas de Osíris dentro delas.

Como Deus dos Mortos

A associação de Osíris com a fertilidade e ajudar a civilizar o Egito não são as únicas coisas que lhe são atribuídas. Sua principal posição icônica no Egito Antigo era o seu reinado sobre os mortos. Como ele conseguiu essa posição permanece um mistério, no entanto, muitos egiptólogos concluem que esta posição foi nomeada a ele, devido a Osíris ser um dos primeiros deuses a morrer,  pelas mãos de seu irmão Seth e depois ressuscitar através de sua esposa Ísis.

Provavelmente uma das representações mais populares de Osíris hoje vem do Livro dos Mortos. Lá, ele se senta em um trono e julga os mortos antes de sua entrada no outro mundo.  Nesse trabalho, Osíris é acompanhado da deusa da justiça, Maat e de outros deuses assessores. O coração do morto é colocado numa balança e é pesado contra a pena de Maat. Se o coração está pesado com pecado, ele supera a pena de Maat, e em seguida, é jogado para a deusa do inferno, Ammit, que o devorará. Se o resultado fosse em favor do falecido, o morto seria autorizado a residir com Osíris no submundo.

O Culto de Osíris em Abido

O culto a Osiris era um movimento onde muitos egípcios faziam uma peregrinação a Abido, onde um templo foi dedicado exclusivamente a ele. Lá, muitos dos egípcios que participaram deste culto apreciavam as festividades, como rituais, celebrações e cerimônias. Era realizado um grande festival anual que consistia na reconstituição da vida de Osíris e a jornada à Abido.  Após essa primeira reconstituição, outra era realizada encenando a glorificação, o sepultamento e a ressurreição de Osíris no túmulo do rei Djer.

Era comum para os seguidores deste culto enterrar seus entes queridos ou fazer arranjos para serem enterrados no local. Se não fosse possível  ser enterrado em Abido , os membros da família  fariam uma cerimônia no local, e em seguida, enterravam o corpo em um outro local. Isto era praticado sob a ótica de que se Osíris fez a viagem a Abido, seus seguidores deveriam fazer o mesmo.

Um dos fatos do culto de Osíris prosperar tanto foi devido ao fato de que as pessoas comuns podiam participar dos direitos funerários que antes eram reservados para as famílias reais. Isso por si só atraiu muitos seguidores em particular, que foram capazes de construir tabuletas stelae (lápides com inscrições que marcavam os limites túmulo) proclamando os seus direitos para Osíris. E também permitiu-lhes receber as bênçãos que já foram consideradas apenas para faraós. Outro fato foi que muitos egípcios viam a religião como atrativa, pois o foco em seus valores fundamentais da vida justificou o seu significado. Também era incorporado a fertilidade do Nilo e proclamado o renascimento para todos os indivíduos que participaram do culto.






loading...

- Anúbis
#ADM Poseidon Anúbis, por incrível que pareça, é o nome grego dele. Sim, os gregos tem mais deuses que a população do Taiti, e ainda se intrometem nos egípcios. Era conhecido no Egito como Inpu (ou Anup, Anpu ou Ienpw). É o Deus Chacal (também...

- A Criação Do Mundo, De Acordo Com A Mitologia Egípcia
Eis mais uma questão imposta por mais uma outra crença: A Criação do Mundo. Desta vez pela visão e religião do Egito Antigo. No princípio, o mundo era apenas um rio adormecido, chamado Nun, que hoje é considerado o famoso Rio Nilo. Por muitos...

- Néftis
۞ ADM Sleipnir Néftis (Nephthys, Nebthwt, Nebhhwt ou Nebthet, "Senhora da Casa") é uma deusa egípcia associada aos ritos funerários e a morte, e um dos membros da Enéade de Heliópolis. Ela é filha dos deuses Geb e Nut, e irmã de Osíris,...

- Ísis
۞ ADM Sleipnir Ísis (em egípcio Auset) é a grande deusa mãe do antigo Egito, irmã e esposa do deus Osíris. Juntas, essas duas divindades desempenharam um importante papel em muitas histórias na mitologia egípcia, particularmente em mitos sobre...

- Anúbis
۞ ADM Sleipnir Anúbis é um deus egípcio geralmente retratado como um homem com cabeça de chacal, ou um chacal negro em posição de esfinge (este último geralmente guardando algo ou alguém) Anúbis, o Juiz dos Mortos também conhecido como Anupu,...



Mitologia








.