Árvore de Natal
Mitologia

Árvore de Natal


۞ADM Sleipnir




Desde muito tempo, árvores já eram consideradas símbolos sagrados. Civilizações antigas de territórios europeus e asiáticos, entre 2 e 3 mil anos antes de Cristo, cultuavam e faziam festas no nome das árvores, que eram, dessa forma, ligadas a entidades mitológicas. Símbolo da natureza, as raízes fincadas no solo comparado a estrutura que crescia para fora deste marcava a “aliança” entre o céu e a terra. 

Dessa forma, enfeitá-las representa algo muito anterior ao Natal, mas que foi incorporado pela Igreja para festejar a chegada do menino Jesus. 

Alguns dizem que um monge chamado São Benedito, cansado de tentar impedir esse “hábito pagão” no território no qual vivia, resolveu incorporá-lo a religião cristã. 

Já outros afirmam que Lutero, durante um passeio numa fria tarde de inverno, se deparou com um grande pinheiro coberto de neve, mas que, por entre seus galhos se via o céu e toda a sua imensidão estrelada. Reza a lenda que, tomado por uma comoção, arrancou um galho da árvore, correu para a casa e, colocando-o em um vaso com terra, enfeitou-o com velas, buscando imitar o que havia visto ao passear pelo bosque. 

Mas seja qual for a real história, o fato é que em 1510, na região de Riga, na Letônia, foi formada a primeira árvore de natal, decorada pelos povos bálticos da Alemanha. 

Ainda assim, os costumes de decoração da tão famosa árvore, variam pelo mundo. Por exemplo, na França e em alguns outros países europeus, uma das tradições consiste em decorar um pinheiro com maçãs, doces, frutas, nozes e pequenos waffles brancos, representando a eucaristia. Tenta representar, assim, a salvação e o paraíso, sendo chamada também de a “Árvore do Paraíso”. 

Já na Alemanha, a decoração deve incluir alguns ornamentos para garantir a felicidade nessa época, como: 
  • Casa: proteção;
  • Coelho: esperança; 
  • Xícara: hospitalidade; 
  • Pássaro: alegria ;
  • Rosa: afeição;
  • Cesta de frutas: generosidade; 
  • Peixe: benção de Cristo;
  • Pinha: fartura;
  • Papai Noel: bondade; 
  • Cesta de flores: bons desejos; 
  • Coração: amor verdadeiro.


Veja outras matérias especiais de Natal
Renas Natalinas
São Nicolau
Krampus, o Demônio do Natal
Gryla
Chyskhaan, o Senhor do Frio
Jack Frost





loading...

- Chyskhaan, O Senhor Do Frio
۞ ADM Sleipnir Chyskhaan ("touro do gelo"), conhecido pela alcunha de Senhor Do Frio, é um personagem pertencente ao folclore de Yakutia, uma república federal da Rússia também conhecida como República de Sakha. É muito difícil encontrar...

- Grýla
۞ ADM Sleipnir Grýla ( Grýlur, Grýlu-Brandr), no folclore islandês, é uma horrível ogra gigante que é dita viver nas montanhas da Islândia. É um dos mais antigos personagens do folclore da Islândia, e suas origens datam de, pelo menos,...

- Jack Frost
۞ ADM Sleipnir De acordo com a popular lenda escandinava, Jack Frost é um elfo à quem os vikings nomeavam Jokul Frosti, que significa pingente de gelo. Jack esgueira-se pelas cidades durante as noites de inverno, fazendo elegantes desenhos de gelo...

- Renas Natalinas
۞ ADM Sleipnir O mito das Renas do Papai Noel foi criado na Europa do séc. XIX, a partir do costume de nos países como o Canadá (Norte), Alasca, Rússia, Escandinávia e Islândia, as pessoas se deslocarem na neve, usando um trenó puxado...

- São Nicolau (papai Noel)
۞ ADM Sleipnir São Nicolau é padroeiro da Rússia, da Grécia e da Noruega e possui um grande histórico de milagres atribuídos a sua pessoa. Nicolau nasceu no século 3, em Pátara (antiga Turquia) e perdeu os pais quando era pequeno. No entanto,...



Mitologia








.