Hyaku Monogatari - Brincadeiras do Medo
Mitologia

Hyaku Monogatari - Brincadeiras do Medo


Hyaku Monogatari (cem historias) ou Hyaku Monogatari Kaidankai pode ser traduzido como ?reunião para contar cem histórias de aparições?. 

Vamos por partes agora: ?Hyaku? significa ?cem?; ?Monogatari? tem o significado de história narrada, conto falado, lenda transmitida oralmente. ?Kaidan? (ou kwaidan, como antigamente era romanizado) é um gênero japonês traduzido por ?histórias de fantasmas?, mas o correto seria ?histórias de aparições? as quais podem envolver, ou não, fantasmas. Isso porque o kanji ?kai? de ?Kaidan? é o mesmo kanji de ?youkai?, que significa ?mistério? e ?aparição?. Por fim, o último ?kai? significa ?encontro?, ?reunião?.
  
É uma "brincadeira" do folclore japonês, no qual você entra em uma sala, com cem pessoas, e cada uma tem que contar uma história de terror supostamente real. A varias versões de como fazer a "brincadeira".


Versão 1: 
À medida que as histórias de fantasmas estão sendo contados, os espíritos destes (no caso o espírito do qual é contado à história), ficaria em volta da sala em que está acontecendo a "brincadeira".

Para a "brincadeira" é necessário uma tigela com água, para que os jogadores possam ver se há algum espirito. Para proteger os jogadores, é criada uma barreira espiritual (kekkai) ao redor da sala: o primeiro jogador acende uma vela e a deixa em sua frente, depois os outros jogadores acendem suas próprias velas nessa primeira e as colocam nos cantos da sala. Depois que terminarem de fazer a barreira, o primeiro jogador apaga sua vela e as histórias começam.

Há versões da "brincadeira" em que se usam 100 velas, uma para cada história. À medida que as histórias são contadas, as velas são apagadas.

No meio da brincadeira, ninguém pode desistir e sair da sala, pois se isso acontecer, os fantasmas que estariam em volta da sala em que acontecia a "brincadeira", irão atormenta-lo para o resto da vida. Dentro da sala eles estão protegidos.


Versão 2:

Tem uma versão moderna diz que você deve preparar 100 velas e um grupo de 100 pessoas. Todas devem sentar em um círculo e as velas devem ser colocadas no centro dele. A medida que uma história de terror vai sendo contada, um vela é apagada, e assim por diante, até que todas as velas sejam apagadas. Nesse momento, no centro do círculo, diz-se que um fantasma apareceria.


Versão 3:
A versão mais antiga é mais bem elaborada. Ela deve ser feita na noite de lua nova, para que não haja nenhuma fonte de luz, por menor que seja. Três salas devem ser preparadas, preferencialmente que sejam vistas em forma de um "L" vistas de cima. A primeira sala, onde o grupo vai ficar, deve estar completamente escura, assim como a sala ao lado, e na terceira sala deveriam ficar 100 andons azuis (uma lanterna japonesa da papel e madeira) e um espelho em uma mesa.

Todos os participantes deveriam usar azul e todas as armas deveriam ser retiradas do local ( as armas são porque antigamente isso era feito entre os samurais XD ).

Uma história era contada e a pessoa que a contou deveria cruzar o caminho escuro até a terceira sala, apagar um andon, se olhar no espelho, e depois retornar para a primeira sala. O grupo poderia continuar a contar histórias enquanto a pessoa fazia seu caminho de volta. As histórias poderiam ser sobre qualquer coisa sobrenatural, e quando os 100 andons fossem apagados, algo sobrenatural aconteceria.

Será possível fazer.

É uma brincadeira Japonesa. Para brincar você dever reunir 100 amigos, certo, pode parecer difícil, mas no caso nada impede que possamos usar recursos atuais podemos usar a lista de amigos do Facebook. Na brincadeira traga o máximo de amigos que puder! E traga 100 velas, uma para cada amigo.

Cada pessoa que estiver participado, deverá contar uma história de fantasmas, que aconteceu de verdade (ou não).

A cada história contada, uma vela deve ser apagada; liberando assim o fantasma da história; para que ele possa caminhar livre pelo local aonde acontece à brincadeira.

Nada de fazer essa brincadeira, com as luzes acesas!! O lugar deve estar iluminado só pelas velas e nada mais!

Claro que vocês podem fazer com menos velas, mas aí não teria tanta graça! Sem falar que daria para virar a noite com essa brincadeira.

Certa vez um grupo de Samurais se uniu para fazer a brincadeira. Quando a última vela foi apagada, uma mão gigante apareceu sobre eles. Mas logo se descobriu que era a sombra de uma aranha. Pobrezinha foi morta, tomando uma "katanada". E claro que isso foi motivo de riso!


E aí, quem tá afim de jogar? Hein?


Fonte - medooriental.blogspot.com.br



loading...

- 10 Lendas Urbanas Japonesas Realmente Assustadoras
Os filmes de terror japoneses são, sem sombra de dúvidas, os mais assustadores. Isso porque as lendas urbanas que surgem no Japão são de fazer arrepiar os cabelos e acabam até mesmo tirando o sono daquelas pessoas mais medrosas. São histórias que...

- Kokkuri-san
Alguém aqui já brincou do jogo do compasso ou do copo? Pois bem, Kokkuri-san é um fantasma que se manifesta na versão japonesa dessa ?brincadeira?. Os jogadores escrevem caracteres em Hiragana em um papel, colocam seus dedos em uma moeda sobre ele...

- Hyaku Monogatari Kaidankai
Hyaku Monogatari Kaidankai pode ser traduzido como ?reunião para contar cem histórias de aparições?. Vamos por partes agora: ?Hyaku? significa ?cem?; ?Monogatari? tem o significado de história narrada, conto falado, lenda transmitida oralmente. ?Kaidan?...

- A Katana Assassina
#ADM Sleipnir A katana assassina é um mito urbano cujo rumores indicam que teria ocorrido na noite de sábado, 7 de outubro, 1989, no bairro Califórnia Goleta, de El Encanto Heights. Três meninos - Ron Pepperworth, Eugene Petry e Buddy Vroom...

- A Casa Do Medo
۞ ADM Sleipnir No século XX, no interior do Amazonas havia um casal e três filhos, duas meninas de 8 e 13 anos e um menino de 15 anos. O casal procurava uma nova casa para morar e decidiram se mudar para a capital, Manaus. Eles arrumaram suas coisas...



Mitologia








.